Praticamente todo mundo que trabalha com TI ou é um aficionado por tecnologia e programação já foi chamado de Hacker por algum leigo. Mas poucas pessoas entendem o que de fato significa ser um Hacker, e as diferenças no meio através de nomenclaturas específicas às habilidades.

Hacker

O que conhecemos como Hacker hoje, é uma pessoa com habilidades cognitivas acima da média e usa essa habilidade para aprender linguagens de programação, sistemas de segurança, criptografia, eletrônica e etc.

Pai da computação moderna.

Pai da computação moderna.

Konrad Zuse é considerado o primeiro Hacker da história, não por ter invadido algum computador, mas sim por ser o inventor do primeiro computador totalmente programável, o Z3. Zuse conseguiu essas proeza no ano de 1938, sozinho no apartamento dos seus pais. Hoje Zuse é considerado o pai da computação moderna.

Abaixo a foto do Z3.Z3_Deutsches_Museum

Então podemos entender que Hacker não é o cara mal exatamente, mas isso dependerá sempre de suas praticas, afinal de contas se um policial comete algum ato ilícito, esse não é mais um policial e sim um bandido. O mesmo equivale com relação ao Hacker e o Cracker. Devemos esclarecer que o Hacker pode agir segundo duas práticas, white-hat e black-hat. As técnicas de white-hat seguem uma conduta moral e ética, já o black-hat visa apenas chegar ao seu objetivo independente de moral ou ética de conduta, teoricamente existe ainda o grey-hat, que defende a invasão sem roubo.

Cracker

Como dito acima, é uma questão de moral e ética a diferença entre Hacker e Cracker. E os Crakers ainda se dividem em algumas categorias.

Crackers de Criptografia: Esses são especialistas em quebrar criptografias. Procedimento que pode tanto ser executado manualmente como criando um programa para este fim. Dependendo exclusivamente do problema a ser solucionado. Pessoas quebram criptografias historicamente a muito tempo, uma das funções mais importantes durante a segunda guerra mundial foram os criptógrafos que decodificavam mensagens importantes dos inimigos.

Crackers de Softwares: Especialistas em programação e decodificação, fazem engenharia reversa de softwares, alterando seu conteúdo e modificando tanto suas funcionalidades quanto às suas restrições de registro ou compra. Quebram datas de expiração de softwares em modo Trial, criam Patchs (desvios de rotina) para registrar ou fazer com que determinado programa funcione como se fosse legal, criam ou fazem com que softwares passem a aceitar Seriais (códigos de registro), keygens e outros.

Phreaker

Hoje uma atividade com poucos adeptos que já fora muito popular na década de 1970, o phreaking trata-se de enganar e/ou manipular linhas telefônicas fixas e celulares. No seu inicio os phreakers usavam gravadores de fita k7 e outros dispositivos para produzir sinais de controle e enganar o sistema de telefonia.

John T. Draper

John T. Draper

 

Não tem como um autor passar por esse tema sem citar dois nomes importantíssimos, o primeiro é o americano John T. Draper que  criou do conceito de phreaker, ao conseguir fazer ligações gratuitas utilizando um apito de plástico que vinha como brinde na caixa de cereais Cap’n Crunch. O apito que vinha como brinde dos cereais Cap’n Crunch, gerava o tom de 2600Hz usado pelas redes de telefonia para acessar diretamente o satélite nas chamadas de longa distância. Logo o primeiro protótipo do dispositivo, posteriormente nominado como Bluebox, fora concebido. Mas John não desenvolveu tão bem seu dispositivo e acabou sendo detectado e teve que responder por fraude em tarifas e foi preso no ano de 1972.

 

Steve Wozniak

Steve Wozniak

Steve Wozniak

 

Em segundo, mas não menos importante temos Steve Wozniak que produzia e vendia ilegalmente as bluebox, o dinheiro ganho foi usado para fundar a Apple junto com seu sócio Steve Jobs e desenvolver o Apple I.

 

 

 

 

 

Outros termos:

Carder: São pessoas que fraudam contas bancárias pela internet obtendo números e senhas de cartões de crédito e débito. Utilizam técnicas que usam keylogger, softwares capazes de armazenar e transferir todas as teclas pressionadas e ações feitas pelo usuário, vazando assim entre outras coisas logins e senhas. Também costumas se beneficiar de uma falha de DNS chamada spoof, aonde podemos alterar o windows para que quando acesse um site ele vá para uma outra página que é um clone do site acessado. Obtendo assim login e senhas de contas bancárias. Felizmente as atualizações de segurança tem inibido bastante esse tipo de ação.

Defacer: Esses são os pichadores cibernéticos, que invadem os sites e trocam suas frontpages por uma de autoria deles, normalmente com a identificação do invasor, que pode ser uma pessoa ou um grupo. As técnicas de invasão geralmente são através de SQL e PHP Injection.

Cheater: Esse é o menos perigoso dentre todos, pois se trata apenas de um noob em games que utiliza programas de terceiros, muitas vezes pagam pelo software, para burlar um jogo e conseguirem ganhar. Com a massificação dos jogos online essa atividade aumentou muito.

Existem ainda outras definições e termos conforme a atitude e características de um hacker ou cracker de menor importância como noob que é o iniciante nas praticas hacker, o lammer que são os indivíduos que apenas usam tutoriais e programas de terceiros, o script kiddie que é o aspirante a cracker.

 

 

 

 

Fontes:

http://copieinanet.blogspot.com.br/2008/01/o-que-so-hacker-cracker-lammer-newbie.html

http://loucosporsistema.blogspot.com.br/2011/01/diferenca-de-hacker-cracker-phreakers.html

http://www.mundodoshackers.com.br/termos-hacker-os-nomes

http://yarghos.blogspot.com.br/2011/05/termos-hacker-cracker-phreaker-newbie.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Blue_box